Cirurgia Oncológica dos Cólons, Reto e Ânus

Fique por dentro de nossos procedimentos cirurgicos e marque uma consulta.

PROCEDIMENTO

Cirurgia Oncológica dos Cólons, Reto e Ânus

O câncer de intestino já é o 2º tipo de câncer mais incidente no Brasil, em ambos os sexos, ficando atrás apenas do câncer de mama (nas mulheres) e do câncer de próstata (nos homens). Apresenta-se como principais fatores de riscos os fatores externos (80-90% dos casos), relacionados a alimentação (pouca ingesta de fibras, ingesta excessiva de carnes vermelhas, alimentos processados, embutidos e gordurosos), hábitos de vida (sedentarismo), ingesta de bebidas alcoólicas e tabagismo. E apenas relacionado a história familiar em 10-20% dos casos!
A grande maioria (90% dos casos) ocorrem em paciente com mais de 50 anos de idade, entretanto, ano após ano, o número de pacientes jovens (com menos de 50, 40, 30…anos) diagnosticados com câncer de intestino vem aumentando no Brasil, e no mundo.
Os principais sinais e sintomas são anemia de causa indeterminada, perda de peso importante, alteração do hábito intestinal, dores e/ou distensões abdominais, massas abdominais palpáveis e sangramentos retais. Lembrando de que em mais de 70% dos casos apresentam-se de forma assintomática (sem sintomas) ou cursam com complicações agudas (obstrução intestinal, hemorragia digestiva ou perfuração intestinal), no momento do diagnóstico.

O principal método diagnóstico é a videocolonoscopia, através da qual, inclusive, é possível realizar o tratamento de tumores precoces. Trata-se de um exame realizado sob sedação (o paciente “dorme” e não vê, sente dor ou fica constrangido, durante a realização do exame), seguro (quando realizado por especialista, com bons equipamentos, em serviços adequados e com preparo satisfatório dos cólons), rápido (o exame dura em média 10-15 minutos) e eficaz (a polipectomia é capaz de tratar tumores precoces ou retirar suas “sementinhas” – os pólipos).
O tratamento, de modo geral, consiste na ressecção cirúrgica, que pode ser realizada através de cirurgia aberta ou por cirurgia minimamente invasiva (videolaparoscopia/”cirurgia por Laser” ou cirurgia robótica), sendo que nesta última abordagem, a recuperação pós operatória é mais rápida, com menor dor, menor risco de infecção de ferida operatória, alimentação precoce, menor risco de hérnias e retorno precoce das atividades habituais. A quimioterapia e radioterapia apresentam sua aplicabilidade no tratamento dos tumores de cólons e de reto, e podem ser realizadas antes ou depois da intervenção cirúrgica, de acordo com suas indicações específicas. Um grande temor dos pacientes é o uso da tão famosa “bolsinha de ostomia”, entretanto, nem sempre é necessária a sua confecção, salvo em situações específicas.
Sempre digo que a melhor escolha é a prevenção, por isto, é tão importante a avaliação com Coloproctologista após os 45 anos de idade (pessoas com familiares portadores de câncer apresentam um protocolo de investigação específico), mesmo que não tenha sinais e sintomas…afinal de contas, a vida é uma só e temos que cuidar muito bem dela!

Agende agora mesmo uma Consulta!

Dr. Alexandre Nishimura

Coloproctologista

Barueri – SP

Clínica Dr. Alexandre Nishimura  Unidade Alphaville

Alameda Grajaú, 98 – 18º andar – Alphaville

(11) 3230-3689 | 95325-9742 (WhatsApp)

Ourinhos – SP

Clínica CIMA


Rua Euclides da Cunha, 1055 – Vila Moraes

(14) 3324-6562 | 99604-2323 

São Paulo -SP 
Vila Mariana

Clínica Dr. Alexandre Nishimura  Unidade Vila Mariana

Rua Domingos de Morais, 2781 – 14º andar – Vila Mariana

(11) 3230-3689 | 95325-9742 (WhatsApp)

São Paulo -SP
 Vila Olímpia

Clínica Dr. Alexandre Nishimura  Unidade Vila Olímpia

Rua Gomes de Carvalho, 1356 – 5º andar – Vila Olímpia

(11) 3230-3689 | 95325-9742 (WhatsApp)

ProctoNews

O que é Coloproctologia?

A coloproctologia é a especialidade que trata, clínica e cirurgicamente, das doenças intestinais (dos cólons, reto e ânus), tais como Hemorróidas, Fístulas anais, Fissuras anais, Plicomas anais, Câncer de Intestino ou Câncer Colorretal, Endometriose Intestinal, Diverticulite, Cisto Pilonidal, entre outras.

Ainda existe o grande tabu em relação ao coloproctologista, devido, principalmente, ao exame de toque retal! Entretanto, reafirmo a grande importância da sua avaliação especializada, pois muitas das doenças intestinais são silenciosas ou confundidas com outros diagnósticos, como por exemplo, o câncer de intestino (a maioria dos novos casos são assintomáticos, no momento do diagnóstico), hemorragia digestiva baixa (muitas vezes tendo como culpada as hemorróidas, mas nem sempre elas são as grandes causadoras dos sangramentos), abscessos anorretais (muitas vezes tratados, erroneamente, como hemorróidas por conta do abaulamento e dor anal)…e como já deu pra perceber, parece que tudo na coloproctologia se chama HEMORRÓIDA, mas não se engane, a avaliação coloproctológica é essencial para o diagnóstico correto e tratamento adequado.

Por se tratar de uma região delicada, e por causar constrangimento para muitas pessoas, algumas coisas são importantes na avaliação anal, como por exemplo, informar todas as etapas do exame antecipadamente, cautela na realização do exame (evitando “avançar o sinal” nos casos de muita dor local, deixando para um segundo momento a avaliação completa…ou até mesmo, sugerindo uma avaliação proctológica sob anestesia ou sedação) e, principalmente, se “colocar na pele” de quem está sendo examinado (faça o que gostaria que fizessem com você)!

Convênios

Sobre o reembolso médico.

Reembolso médico ocorre quando o paciente paga pela consulta ou procedimento médico e, após envio de documentos para o plano de saúde, dentro de 30 dias seu custo é restituído.

A grande vantagem do reembolso médico é que, através dele, o paciente tem livre escolha para decidir com qual médico irá se tratar, e não fica preso à lista de profissionais que firmaram algum tipo de acordo com o convênio médico. O médico por sua vez, não fica restrito às remunerações fixadas e tem o direito de receber seus honorários de maneira justa sem prejudicar o paciente.

Em geral, os planos de saúde são obrigados a informar, seja pela internet ou pelo serviço de atendimento ao consumidor, se o paciente tem direito a facilidade do reembolso médico. Nos casos em que o convênio do paciente não fornece essa opção os custos com saúde são restituídos integralmente no imposto de renda, salvo quem opta pelo modelo simplificado — não é permitido nenhum abatimento, já que é concedido um desconto de 20% sobre a base de cálculo do imposto (limitado ao valor de R$ 16.754,34), que substitui todas as deduções. Basta apenas que a pessoa declare os valores das consultas e procedimentos, e guarde a nota fiscal do atendimento como comprovante.

“O paciente que se consulta em caráter particular um médico não conveniado ao seu plano de saúde, pode buscar a realização de exames e procedimentos por ele requeridos junto a operadora. A negativa da empresa é ilícita, tanto sob o ponto de vista do paciente, quanto do médico. Essa é uma decisão judicial, que encontra amparo no Código de Defesa do Consumidor e na Resolução da ANS – CONSU n.8 de 04/11/1998. Há inclusive decisão do STJ que assegura tal direito ao médico e ao paciente, que detém a garantia de poder procurar qualquer médico de sua confiança, sendo credenciado ou não a operadora de saúde.”

Abrir Chat
Precisa de Ajuda?
Olá 👋
Podemos te ajudar?